Cor de luz é uma coisa e de tinta é outra

Revista Super Interessante – A mistura de todas as cores sempre dá branco?

Confira também no blog da SQ Química: Tintas: Clientes exigem resinas de alto desempenho

Só se você juntar luzes coloridas. “Juntando um monte de tintas diferentes num balde, o resultado ficará muito mais próximo do preto – ou do cinza-escuro”, explica o físico Cláudio Furukawa, da Universidade de São Paulo. As cores não passam de ondas eletromagnéticas que os nossos olhos conseguem enxergar. E as ondas podem ter freqüências diferentes, o que gera as várias tonalidades.

O branco é a mistura de todas as freqüências. Para comprovar, basta focalizar fachos de luz coloridos sobre um mesmo ponto, numa folha branca. Mas uma tinta não é o mesmo que um facho de luz. Os pigmentos – tanto faz se eles estão numa maçã ou na carga de uma caneta – podem absorver ou refletir a luz. Uma tinta preta absorve todas as cores, causando o negrume. Já uma branca reflete todas. Se você passar uma caneta vermelha no papel, o risco absorverá todas as cores menos o vermelho, que volta para os seus olhos. A cor que vemos é o que sobrou da luz absorvida.

Preto e branco

O resultado da mistura das cores não é sempre o mesmo.

  1. Ao apontar fachos coloridos – um azul, um verde e um vermelho são suficientes – para uma tela branca, o ponto onde todos se encontram fica branco.
  2. Ao misturar tintas com as mesmas cores sobre uma superfície branca, o local onde elas se encontram absorve a luz e não deixa escapar nenhuma cor. Ali a tela fica preta.

Fonte original do texto – Revista Super – https://super.abril.com.br/ciencia/cor-de-luz-e-uma-coisa-e-de-tinta-e-outra/

Confira também no blog da SQ Química: A relação entre a química e o meio ambiente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *