O impacto da Indústria 4.0 no profissional da indústria química

O impacto da Indústria 4.0 no profissional da indústria química

Texto por Abiquim – A Comissão Temática de Recursos Humanos e Assuntos Trabalhistas da Abiquim recebeu, no dia 20 de maio, o gerente de Inovação e Tecnologia do Senai-SP, Osvaldo Lahoz Maia, que abordou o impacto da implantação das tecnologias da Indústria 4.0, no segmento químico.

Confira também no blog da SQ Química: 5º Seminário Abiquim de Tecnologia e Inovação acontece em outubro

O gerente do Senai explicou que as mudanças no mercado de trabalho farão com que as tarefas repetitivas sejam executadas por máquinas. Esse cenário gera muitos desafios às áreas de Recursos Humanos das empresas, que precisam motivar seus colaboradores, promover ações de requalificação, além de aumentar os desafios no processo de seleção, no qual precisarão serem avaliadas as “soft skills” dos candidatos como o pensamento crítico, a liderança, a capacidade de comunicação e o trabalho em equipe.

Maia ainda contou que o processo de aprendizado já está sendo alterado nas escolas. “A sala de aula convencional deixa de ter sentido, o professor precisa atuar como um facilitador que deve dar a chance de o aluno ser o protagonista do desenvolvimento das soluções dos problemas”, explicou.

As empresas precisam estar atentas também a este desafio no treinamento e na requalificação de seus colaboradores. Neste cenário, segundo Maia, a utilização de games empresariais, no qual os colaboradores precisam resolver problemas elaborados ou simples é uma ferramenta efetiva para a capacitação, que auxilia no desenvolvimento técnico e em características como o trabalho em equipe, a liderança e a capacidade de comunicação.

“Sem qualificar as pessoas é impossível qualificar os processos, isso gera a necessidade de se trabalhar a qualificação dos profissionais e, segundo o relatório Future of Jobs, do Fórum Econômico Mundial, o tempo de requalificação no Brasil é de 90 dias”, afirmou Maia.

Créditos da foto: Divulgação ABIQUIM

Fonte original do texto: ABIQUIM

Confira também no blog da SQ Química: Frente Parlamentar da Química realiza debate sobre gás natural em Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *