Governo Federal cria Mesas Executivas da Indústria Química

Texto por Tintas & Vernizes A primeira reunião da Mesa Executiva da Química foi realizada em junho, em Brasília (DF), com a participação do secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (SEPEC), do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Da Costa; do secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio Serviços e Inovação (SDICSI) da SEPEC, Caio Megale; do coordenador geral da Secretaria de Advocacia da Concorrência e Competitividade (SEAE) da SEPEC, Daniel Canhete; e do coordenador geral de Insumos Básicos e Trabalho da Subsecretaria da Indústria (SI) do Ministério da Economia, Rogério Glass.

Confira também no blog da SQ Química: Governo Federal cria Mesas Executivas da Indústria Química

Segundo Megale, a primeira reunião da Mesa Executiva da Química teve o objetivo de coletar as prioridades e buscar a designação de tarefas claras para os participantes, incluindo setores público e privado. Megale ainda informou que devido ao tamanho e impacto do setor, foram criadas duas Mesas Executivas da Química: uma para químicos de base e a outra para especialidades, sendo aquela a primeira reunião das Mesas.

A criação da Mesa Executiva da Química foi anunciada pelo secretário especial, Carlos Alexandre Da Costa, no evento de relançamento da Frente Parlamentar da Química (FPQuímica) no Congresso Nacional, em abril.

O setor químico foi representado pelos membros do Conselho Diretor: Daniel Hubner (Yara Fertilizantes), Daniela Manique (Solvay), Eduardo Fujisawa (Sabic), Marcelo Cerqueira (Braskem), Roberto Noronha Santos (Unigel); pelos executivos: Ana Paula Santoro (Oxiteno), André Passos (Innova), Elder Antônio Martini (Elekeiroz), Frederico Marchiori (Oxiteno), Luiz Henrique Lopes (BASF), Reinaldo Kroger (Innova), Renata Bley (Braskem) e Suelma Rosa (Dow); assim como pelo presidente-executivo da Abiquim, Fernando Figueiredo; pela diretora de Relações Institucionais, Comunicação e Sustentabilidade da Associação, Marina Mattar; pelo diretor executivo da Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados (Abiclor), Martin Afonso Penna; e pelo presidente da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e Consumidores Livres (Abrace), Paulo Pedrosa.

Os representantes do setor industrial presentes indicaram como principais desafios do setor o alto custo do gás natural, usado como matéria-prima e energia pelo setor, nos encargos que incidem sobre a tarifa de energia, e a estrutura logística deficitária. Outra preocupação apontada pelos participantes foi a guerra comercial entre Estados Unidos e China, que pode afetar o mercado nacional.

A segunda reunião da Mesa Executiva da Química I (químicos de base) deverá ocorrer no mês de julho no Polo de CaGoverno Federal cria Mesas Executivas da Indústria Químicamaçari, na Bahia.

Fonte original do texto: Tintas & Vernizes

Confira também no blog da SQ Química: Balança comercial tem superávit de US$ 6,422 bilhões em maio

Deixe uma resposta