Fiesc defende criação de linha aérea direta entre os Emirados Árabes e Santa Catarina

Homens colocando carga dentro de um avião

Notícia por Comex do Brasil – Um voo direto que ligue os Emirados Árabes Unidos ao estado de Santa Catarina está entre as pretensões da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc). Segundo o presidente da instituição, Mario Cezar de Aguiar, o estado tem condições de implementar um voo dos Emirados a Santa Catarina por meio da empresa árabe Emirates. “Podemos ofertar esses voos não apenas para passageiros, mas para cargas também”, pontuou Aguiar durante um debate online promovido na Feira e Congresso de Logística e Negócios Multimodais, nesta quarta-feira (04).

Leia mais no Blog da SQ Química: Com 12,4 mil novas vagas, indústria de SC lidera contratações em agosto

Aguiar participou da mesa-redonda ‘Potencial e Oportunidade para o Comércio Bilateral entre o Brasil e os Emirados Árabes Unidos’, com o embaixador dos Emirados em Brasília, Saleh Alsuwaidi, o jornalista Cláudio Loetz, com a mediação do presidente da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Rubens Hannun, e a  presença do secretário-geral da instituição, Tamer Mansour.

Hannun lembrou que a relação do Brasil com os Emirados Árabes Unidos tem se intensificado nos últimos anos. “Os Emirados formam o primeiro país entre os árabes a comprar do Brasil, e são o terceiro maior mercado de produtos brasileiros. Eram o quinto país até três anos atrás, e isso tem se acelerado”, afirmou Hannun.

Dentro dessa balança comercial, Aguiar lembra que é possível elevar as compras catarinenses de itens do país árabe. “[O comércio com] Santa Catarina está extremamente superavitário. Acho que aí está a oportunidade de importarmos mais produtos dos Emirados para equilibrar essa balança”, afirmou.

Leia mais no Blog da SQ Química: Receita prevê menos burocracia no comércio exterior a partir de dezembro

Para Alsuwaidi, esse equilíbrio se dá também quando se pensa nas regiões em torno de cada país. O embaixador destacou que assim como os Emirados são um hub para o Brasil na região do Oriente Médio e Norte da África (Mena), o Brasil é hub para os Emirados na América Latina. “Eu encorajo a comunidade de negócios a olhar para o grande mercado em torno de nós. A África, os países árabes, a Índia”, afirmou Alsuwaidi, que também disse ter interesse em conhecer o estado do Sul do Brasil mais profundamente.

Outra possibilidade citada pelo embaixador está na parceria em investimentos em um terceiro país. “Nós podemos fazer investimentos juntos em outros países árabes, por exemplo”, concluiu o embaixador.

O debate ocorreu em evento da feira chamado Logistique Web Conference, na qual especialistas, empresários e autoridades  falam sobre os principais assuntos da logística, transporte multimodal e comércio internacional. Assim como os debates, também a feira ocorre de forma virtual com exposição de empresas e marcas entre os dias 4 e 6 de novembro.

(*) Com informações da ANBA

Fonte original da notícia: Comex do Brasil