Fabricantes de tintas diversificam para crescer em ambiente desafiador

Fabricantes de tintas diversificam para crescer em ambiente desafiador

Texto por DCI Fabricantes buscam novos mercados e diferentes modelos de negócios para ter maior rentabilidade e um desempenho superior ao projetado para o setor em 2019, que deve crescer apenas 1,9%.

Confira também no blog da SQ Química: Veja a diferença entre os tipos de tintas automotivas

A indústria de tintas está diversificando os negócios para crescer em um ambiente desafiador no Brasil. As apostas vão desde o aumento dos pontos de distribuição até projetos de franquias de fábricas. “

Há uma expectativa otimista para o Brasil, mas ainda não sentimos isso refletir no dia a dia dos negócios. A projeção de crescimento da Abrafati [Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas] é de 1,9% em 2019, mas a nossa é de pelo menos 10%”, afirma o CEO da Tintas Iquine, Eduardo Moretti.

Ele explica que a empresa tem investido em processos produtivos para se tornar mais competitiva e buscado expandir sua atuação no território nacional. “Temos uma participação forte no Norte e Nordeste e estamos olhando há algum tempo para outras praças, reforçando nossa parte comercial no Sudeste, Centro-Oeste e também no Sul.”

Moretti conta que a companhia busca por melhor produtividade em sua planta, localizada em Jaboatão dos Guararapes (PE), para reduzir a pressão de custos dos insumos. “Cerca de 70% de nossas matérias-primas são dolarizadas, por isso o câmbio representa um impacto grande nos custos. Com um mercado em uma situação de pouco aquecimento, fica difícil repassar”, esclarece.

O executivo acredita em uma retomada da construção civil ao longo do ano. “O sentimento geral de nossos clientes é de extremo otimismo com o País e com a nova situação política. Temos certeza que vai haver uma melhoria do mercado que vai beneficiar a indústria. Mas isso ainda não se refletiu nas vendas.”

Franquias

A Franpaint aposta em um modelo de franquias de fábricas de tintas. “A ideia é oferecer suporte desde a implementação industrial até o marketing digital, passando pelo treinamento. Além disso, a marca tem parcerias com fornecedores de equipamentos, matérias-primas e embalagens”, explica o diretor de operações Manfred Wimber. Ele conta que trabalha há quase 20 anos na indústria e desenvolveu o projeto para fornecer know-how a clientes do varejo. “Durante a crise, vimos várias lojas fechando ou tendo problemas. Dando esse suporte, tornamos o cliente mais competitivo e ajudamos o mercado”, conta.

Wimber explica que o investimento inicial necessário para se tornar um franqueado é de R$ 550 mil reais. “Isso inclui máquinas, matéria-prima, sistema operacional e formulações. A capacidade é de cerca de dois mil baldes por mês ou 50 mil litros de tinta.”

A unidade piloto está localizada em Diadema (SP). “Essa fábrica é maior, recebeu um investimento de R$ 4 milhões e tem capacidade para 111 mil baldes. Foi feita para difundir a marca e realizar os treinamentos”, observa.

A expectativa da Franpaint é ter um total de seis franquias até o final do ano. “Teremos mais uma em São Luís [MA] e estamos em negociação com mais cinco estados. Além disso, vamos ter uma franquia na Bolívia”, destaca.

O executivo assinala que a empresa não exige exclusividade dos varejistas franqueados. “Eles podem vender o que quiser. O nosso preço é mais competitivo e a qualidade do produto é premium. O lojista vai perceber que é vantajoso.”

Além do investimento inicial, a empresa recebe uma taxa de 3% de royalties do produto e uma de marketing de 1%. A previsão de retorno do investimento para o franqueado é de 10 a 24 meses.

Fonte original do textoDCIhttps://www.dci.com.br/impresso/fabricantes-de-tintas-diversificam-para-crescer-em-ambiente-desafiador-1.798950

Confira também no blog da SQ Química: Governador João Doria discute ações para aumentar a competitividade da indústria química com executivos do setor

Deixe uma resposta