Conselheiro da Abiquim apresenta o setor de químicos para cosméticos na Frente Parlamentar da Química

Texto por ABIQUIM O conselheiro da Abiquim, coordenador do Comitê para o Desenvolvimento Sustentável da Associação e diretor geral da Croda, Marco Carmini, falou sobre “O setor de químicos para cosméticos” em almoço realizado pela Frente Parlamentar da Química (FPQuímica), em Brasília, no dia 9 de outubro.

Confira também no blog da SQ Química: Abiquim é membro do conselho consultivo da Rede de Metrologia Química do Inmetro

Carmini iniciou sua fala apresentando o Programa Atuação Responsável®, iniciativa da indústria química brasileira e mundial destinada a demonstrar o comprometimento na melhoria contínua de seu desempenho em saúde, segurança e meio ambiente. Ele salientou que a adesão ao Programa é condição de filiação à Abiquim para as associadas efetivas e colaboradoras.

O diretor da Maziquim, João Zuneda; o conselheiro da Abiquim, Marco Carmini; e o conselheiro da Abihpec, Patrick Sabatirer

O executivo destacou o potencial da biodiversidade brasileira, porém, explicou que o potencial nacional não vem sendo aproveitado como foi até o final da década de 1990 e início da década de 2010. Segundo ele, recentemente, com aprovação do marco regulatório da biodiversidade, houve o resgate das pesquisas utilizando a biodiversidade nacional.

O representante da Abiquim também mencionou a importante agregação de valor na cadeia produtiva com a utilização de químicos para a produção de cosméticos no País.

Carmini seguiu sua apresentação expondo o entendimento de como a Frente Parlamentar da Química pode atuar garantindo a competitividade do setor. Para tanto elencou as diretrizes defendidas pela Abiquim para regulações, destacando a importância de serem baseadas na análise e gestão de riscos, na realização de estudos de impactos regulatórios, não sobreposição com outras legislações existentes, não criação de desvantagens competitivas para o Brasil com relação aos países grandes produtores de químicos, e destacou a importância de se buscar a isonomia entre produto nacional e importado.

Almoço da FPQuímica reuniu parlamentares e representantes do setor para discutir a química nos cosméticos

Ao final, o executivo abordou as discussões envolvendo a evolução do Anteprojeto de lei de Substâncias Químicas, salientando o trabalho técnico realizado pela Abiquim, no âmbito da Comissão Nacional de Segurança Química (Conasq), do Ministério do Meio Ambiente (MMA), com o objetivo de contribuir com as autoridades públicas.

O diretor-fundador da Maxiquim Assessoria de Mercado, João Zuñeda, realizou uma apresentação sobre “O potencial do Brasil para químicos para cosméticos e tendências globais”. Ele assinalou o peso da indústria química para a economia brasileira e destacou a fatia da indústria de produtos de uso final, onde se encontra a indústria de perfumaria, higiene pessoal e cosméticos. Essa indústria, de acordo com João Zuñeda já é consolidada e conta com um mercado forte no Brasil. “Um produto cosmético tem em sua composição, de 15 a 50 ingredientes. Considerando que se consome de 6 a 12 cosméticos por dia, temos uma média de 250 produtos químicos utilizados diariamente. Ou seja, a indústria química está presente no dia a dia de quem consome esses produtos. E mesmo que tenhamos mercado consumidor, empresas globais atuando no Brasil e biodiversidade, boa parte desses ingredientes são importados”, afirmou.

Representando a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIPHEC), o conselheiro Patrick Sabatirer, da L’ Oreal, classificou o setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos como essencial por lidar com elementos que ultrapassam a estética e atingem a saúde dos usuários, além dos relevantes aspectos sociais relacionados ao setor, pelo cuidado com o meio ambiente e sustentabilidade e elevado incentivo à pesquisa e desenvolvimento tecnológicos.

Ao final de sua apresentação, Sabatirer chamou atenção para a alta carga tributária e para a complexidade do sistema tributário nacional, reforçando a necessidade de se buscar a simplificação dos tributos.

O deputado federal Alex Manente (Cidadania/SP), presidente da Frente, destacou o papel da FPQuímica nas discussões relevantes para o setor químico, em especial o Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, que tem grande potencial de geração de empregos.

Os deputados Alexis Fonteyne, Marcelo Calero, Alex Manente e Arnaldo Jardim 

O deputado federal, Marcelo Calero (Cidadania/RJ), coordenador de Químicos para Cosméticos na Comissão Executiva da Frente, destacou a importância do setor de cosméticos no Brasil. “Ainda que a economia brasileira ande a passo lentos, só no setor, foram abertos de 182 mil postos de trabalho em 2019”. Conforme destacado pelo deputado, “o Brasil é o 4º maior mercado consumidor de cosméticos. É o segmento industrial que mais investe em publicidade, o que fortalece a democracia e os meios de comunicação formais. Além disso, nossas exportações se dirigem a 165 países, ou seja, o setor é uma potência exportadora e tem papel fundamental na balança de pagamentos”.

De acordo com o coordenador do tema: “temos que lembrar que falar de cosméticos e produtos de higiene, é falar de qualidade de vida, saúde e, inclusive de saúde mental. Mesmo assim, esses produtos são tratados como supérfluos, e sofrem com a alta tributação. Entre 2000 e 2014 o setor de cosméticos e higiene passou do 6º mais tributado para a 2ª posição”. Segundo o parlamentar, esses números mostram que o setor precisa ser tratado com maior relevância pelo legislativo, e por meio da coordenação de cosméticos na Frente, trabalham para mobilizar o parlamento em torno dessas agendas.

O deputado ainda mencionou a reunião que teve com a Abiquim e Abihpec, em 1 de outubro, na qual debateu sobre a agenda positiva do setor relacionada à inserção da mulher no mercado de trabalho e elogiou o trabalho da Abihpec na promoção de oficinas de maquiagem em pacientes em tratamento oncológico.

Acerca do debate sobre a regulação de substâncias, o Deputado Alex Manente afirmou que trabalhará junto aos membros da FPQuímica para agendar audiência na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão responsável pela regulação dos produtos e abordar os requisitos de qualidade dos produtos.

Estiveram presentes os deputados Alex Manente (Cidadania/SP), presidente da FPQuímica; Marcelo Calero (Cidadania/RJ), coordenador de químicos para cosméticos; Alexis Fonteyne (Novo/SP), coordenador de químicos para construção da FPQuímica; Arnaldo Jardim (Cidadania/SP), coordenador de Fertilizantes da FPQuímica; Deputado Otto Alencar Filho (PSD/BA); e o deputado Paulo Ganime (Novo/RJ), coordenador do RJ na FPQuímica. Pelo setor privado, estiveram presentes representantes da Abiquim, do Conselho Federal de Química, da Abihpec e representantes de indústrias químicas e de cosméticos.

Fonte original do texto: ABIQUIM

Confira também no blog da SQ Química: Representantes da indústria química apresentam colaborações do setor na distribuição de gás natural em audiência pública na Bahia